Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mamã Zen, Mamã com estilo...

O blogue que retrata da vida de uma mulher após maternidade. Entre biberões e batons, um mundo cheio de descobertas ao estilo Zen.

Mamã Zen, Mamã com estilo...

O blogue que retrata da vida de uma mulher após maternidade. Entre biberões e batons, um mundo cheio de descobertas ao estilo Zen.

Sesta a duas...

IMG_20170802_144742.jpg

 

As saudades destas folguinhas a duas, na cama dos Papás, eram mais que muitas.

 

Não há dinheiro que pague estes momentos. 

 

Tão únicos e só nossos. 

 

O tempo corre... Mas se for preciso eu paro-o para estar só aqui, contigo, minha sempre bebé. 

 

Aproveitem também por aí. 

 

Para bloggers...

paritlhar.jpg

 

 

Desculpa, mas não sei se sou eu que desconheço, ou se realmente não existe um lugar onde bloggers falem abertamente do seu trabalho.

 

Tenho o meu blogue à quase dois anos, e o que existe foi de algum trabalho da minha parte. 

 

Poderia ser melhor ? Poderia...

 

Poderia estar melhor? Poderia...

 

Mas muitas vezes algumas situações e circunstâncias das nossas vidas não nos permitem fazer somente aquilo que gostamos, e que possamos dedicar somente o nosso tempo, como neste caso ao meu blogue.

 

Quando escrevo, e apesar que escrevo sobre o dia-a-dia, requer sempre algum tempo para elaborar um texto, com o mínimo de erros e alguma lógica no tema. Tenho que por vezes parar para fazer outras coisas nos entre tantos. E a verdade é que posso levar mais de uma hora entre escrita, lógicas e afins. Não que seja obrigação ter que o fazer, ter que estar aqui, NÃO, mas adoro isto...e luto para que consiga ter mais tempo, disponibilidade, para este meu hobby.

 

É claro, e não podemos vir aqui com "histórinhas" que o fazemos só para nós, porque não é isso. 

No meu ver, e também falo por mim, quando se escreve ou faz-se alguma acção no blogue, gostamos que pelo menos UMA pessoa, ao ver, possa dizer que se identifica com algo. É óbvio se for duas, três, vinte, MIL ... MELHOR. 

 

Sigo vários blogues, e como estou sempre a tentar melhorar o meu, entro em questões como: " Como puseram "aquilo" ali no blogue?" (O "aquilo", pode ser várias coisas, como: formatação, widgets, etc) . Chega a pulsar em mim a vontade de perguntar ao proprietário do blogue, mas acabo por não arriscar. Dá-se o caso e acabo por levar com aquilo que não quero ouvir.

E fico sempre com a minha, com as minhas questões.

O Google pode ser um Mundo, mas não é tudo, e para quem anda nisto algum tempo, vê que há muita coisa semi-oculta quando ensinam a fazer isto ou aquilo. 

 

A minha sensação...talvez...

 

Depois penso: " Bolas...será que se não fossemos todos mais amigos uns dos outros, com vontade de dar a mão a todos,  ajudar-nos, partilharmos ideias, não seria tudo mais fácil?

 

Não seria mais prazeroso fazer aquilo que gostamos, por saber que existe alguém de outro lado, na mesma posição de blogger apoiar nos e vice versa? Para mim seria muito.

 

Este meu novo mundo, a minha "nova vida", ao estilo "ZEN", tem-me presenteado com o gosto de saber partilhar, ajudar, ensinar, apoiar naquilo que sei, posso e consigo.

Será que desse lado, existe algum colega com esta mesma vontade de ajudar o próximo, sem pensar no que tem mais visualizações, gostos e seguidores?

Agarrar a mão de quem começa, e daqueles que já cá estão e ajudar a ser melhores a cada dia que passa?

 

Noutros países, ser blogger já é para muitos uma profissão. Aqui em Portugal ser blogger como profissão, contam-se pelos dedos. A não ser que tenha fama de reality shows,ou outros do género, toca a pedalar amigo...

 

Ahhh para não dizer que por vezes quem escreve nem sequer é quem dá a cara. Quem tira fotos nem sequer são os próprios.

Está toda uma equipa envolvida por de trás.

 

Afinal de quem é todo o trabalho? Ou de quem é o blogue?

 

É disto que vos falo. 

 

Sou blogger, mas não é esta a minha profissão. Sou uma blogger que partilha parvoíces e desvaneios como mulher e mãe, quando o tempo assim me permite. Sou qualquer coisa aqui perdida nas areias do Algarve (ahahah) que adorava que todos  nós uníssemos para ajudar a crescer uns aos outros, nem que seja com um simples : "Olá estou aqui apoiar-te nas tuas parvoíces e desvaneios."

 

Enfim...um desabafo que já anda aqui algum tempo para sair, e hoje foi o dia.

 

Obrigada a todos os que me têm apoiado nesta minha aventura com passinhos de bebé.

 

Algo a dizer desse lado?

Cresces-te, e nem dei conta...

crescer.jpg

 

 

 

Sei que estou prestes a deixar de ter uma bebé para ter uma criança.



Sei que o tempo passa, e a lei, é tu cresceres, desenvolveres, tornares-te uma criança, posteriormente e a seu tempo, uma adolescente, até chegares à fase adulta.



Sei que todas estas fases são imensamente importantes, tal como foi para eu tornar-me na mulher que hoje sou. Mas será que como Mãe, que sou, estarei preparada para ver cresceres dessa forma? Essa forma, em forma de relâmpago, que escapa-me entre os dedos das mãos, essa tua evolução.



Primeiramente, 9 meses de formação, gestação, a dita gravidez, em que posso dizer que foram os 9 meses mais rápidos, e também mais belos na minha vida.



Nasceste, e num abrir e fechar de olhos já não és aquele bebé, que para tudo dependia de mim (apesar que para mim sempre serás a minha bebé). Agora, com 23 meses, quase 24, estás tão independente para os "primeiros passos" de uma criança.



A evolução é de dia para dia, ou repentinamente, tanto no corpo como em sabedoria. E que sabedoria...



Ontem, como todos os dias, fui abrir a gaveta para buscar umas calças para vestires. Uma não serve, duas não serve, e mais uma vez, em duas semanas o teu "guarda-fato " diminuiu, como por magia. CRESCES-TE.



Cresces-te, e nem dei conta...e não foi por falta de atenção, é simplesmente porque aos olhos desta tua Mãe, continuas a ser uma bebé, a bebé da Mamã.



Amo-te AMOR GRANDÃO da Mãe.



Beijinhos da Mamã Zen, Mamã com estilo...

 

É por isso que sou a Mamã Zen...

Por fim a parte mais "ZEN" de mim...

 

 

 

Não é que a palavra "ZEN" seja bem empregue, pois não serve como adjetivo. No pouco que tenho estudado sobre o ZEN, consigo perceber que ZEN é um ensinamento, associado ao budismo. No entanto, muitos de nós, usamos a palavra "zen" como para adjetivar um estado de equilibrio pleno e sereno.

 

Até ao momento que aventurei-me a descobrir o ZEN, percebi o quanto estava errada na noção criada na minha cabeça sobre o mesmo.

 

Mas adiante...e usando a palavra adjetivada.

 

Há algum tempo para cá e principalmente depois da minha Borboleta nascer, senti a necessidade de criar o meu Mundo, mais sereno e calmo. Acho que este sentimento provem do instinto maternal. Queremos protejer. Queremos cuidar das nossas crias em paz e pleno amor...Aquela imagem de bebé a dormir como anjinho...são associações que fazemos a este novo estado de espirito. Uma Mamã "Zen"....tranquila, serena, amor....

 

A realidade é que por vezes o nosso desejo de tranquilidade, não equivale à realidade...pois a maternidade não é o mar de rosas que as revistas, a TV e as amigas pintam. Amamos sim, os nossos filhos, mais que tudo nesta vida, podem ter a certeza...mas existe o se não, o lado menos positivo.

 

Um bebé que chora muito nos primeiros meses de vida, um bebé que tem dificuldade em adormecer, um bebé que por exemplo pode ter dificuldade na pega da maminha...ou até mesmo o lado da Mamã que passa a fase do Baby Blues e/ou uma depressão pós parto...Tudo isto retira o estado mais "zen" (calmo) da história.

 

No entanto conto-vos um pouco da minha história.

 

A Mamã teve uma linda bebé, que não gostava de dormir e chorava muito nas primeiras semanas de vida.

 

Para ajudar a Mamã, assim que teve alta do hospital e chegou a casa, entrou na fase do Baby Blues que por sua vez originou uma depressão pós parto. Mas calma, eu fui sempre muito bem acompanhada, por profissionais.

 

Mas dai, desse tombo que levei naqueles dias, eu só queria ser EU, voltar ao normal, não ser egoista a pensar que só eu sabia cuidar bem da minha menina. Não têm noção, mas um Baby blues, faz de nós outras pessoas...posso dizer que tem um lado de horrivel. E digo isto, tendo em conta a minha experiência, achar que só eu sabia cuidar da minha bebé, e mais ninguém.

 

Desta fase, partiu a minha mudança. Foi dai que quis mudar tudo. Da curiosidade passei a estudar, frequentei cursos em áreas holisticas, mudei atitudes e pensamentos, frequentei atividades como o Yoga ( com muita pena minha, não pude continuar, mas assim que conseguir retomar eu volto) e de tudo isto, e aos poucos estou ao encontro do equilibrio e do Universo.

 

É por isso que sou aqui, a Mamã Zen...

 

É só um pouco mais de mim...uma mistura de histórinhas...

 

Peço desculpa para quem é previligiádo na sabedoria dos ensinamentos, e se pude expressar  me menos bem quando falei no Zen, e no budismo, mas estou apenas no  "A E i O U" de principiante.

 

Beijinhos muitos, muitos com imensa gratidão da Mamã Zen, Mamã com estilo...