Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mamã Zen, Mamã com estilo...

O blogue que retrata da vida de uma mulher após maternidade. Entre biberões e batons, um mundo cheio de descobertas ao estilo Zen.

Mamã Zen, Mamã com estilo...

O blogue que retrata da vida de uma mulher após maternidade. Entre biberões e batons, um mundo cheio de descobertas ao estilo Zen.

Dieta da Alma: O Desabafo

mandala.jpg

 

Há dias que é necessário desabafar. E não é porque aconteceu algo ou coisa do género.

 

É necessário e ponto.

 

Como hoje.

 

Já algum tempo que trago em mim o sentimento de ter que jogar fora o que vai na minha alma.

 

 

Porque sim.

 

 

Porque pesa e não quero carregar palavras, criar agonias e mau estar com o meu próprio eu, só porque necessito de falar, e ao contrário de o fazer, guardo para mim.

 

Ando cansada ... psicologicamente, da maldade dos outros. Da mesquinhice das pessoas. Da forma como vivem e aparentam aquilo que não são. 

 

Não sou perfeita, como é óbvio, mas não me consigo encaixar nesse tipo de gente que fala uma coisa e depois são outra, que usam a mentira, as doenças, etc,  para criar o bichinho da PENA. Não consigo suportar a má língua nas costas de uns, e a reuniões de hipocrisia que se fazem sentir nas costas de outros.

 

Tudo isto para quê?

 

Só tenho uma resposta.

 

Para não se sentirem sós, para se acharem os melhores do Mundo, para dar palmadinhas nas costas ao Sr. Ego.

 

 

Querem aparentar  FELICIDADE que na verdade não existe, nem sequer sabem o verdadeiro sentido da palavra.

 

Cada vez mais tenho tendência a afastar me de pessoas assim.

 

 

Pessoas que só se lembram de mim para pedir um favor, e nem sequer perguntam "como estás".

Não existe dias para questionar sobre nós, só há dias para apontar o dedo, e dizer o que és, mas claro, NEGATIVAMENTE, aquela parte em que dizem que não prestas, que não vales nada, que tens culpa de tudo o acontece à tua volta.

 

Dá o caso que não faças o favor que te pedem, ai sim viras a pior pessoa que existe a fase da Terra.

Esquecem-se é de tudo o que atrás foi feito. Que fomos capazes de parar a nossa vida por os outros. Simplesmente esquecem tudo.

 

Mas também esquecem que esta pessoa que pára a própria vida para viver a vida dos outros, chega a um dia que se cansa.

Cansa-se de fazer figuras de palhaça, de aturar caprichos, que põe um ponto final a tudo isto, e que passa a dar importância ao que realmente é de valor, e ao que realmente é importante: EU/NÓS.

 

Não vou passar a minha vida a dar "Améns" a quem não olha para mim com um pingo de sentimento. A quem não se preocupa com a nossa vida. A quem não diz simplesmente "Oi, estou aqui", "Oi, estou aqui mesmo que seja para rirmos juntos" , "Oi, estou aqui, mesmo que seja para ficar em silêncio".

 

Não vou...

 

Desabafos fazem parte da dieta da nossa alma e eu estou em dieta, em "arrumações" com o lado bom da vida.

Olhando para o importante, amando e respeitando o próximo, e praticando a gratidão por aqueles que dão um pouco deles por nós.

 

Desabafos fazem sentir nos mais leves. Como agora...

 

Fase-o.... se sentes que tens de o fazer. Seja de que forma for. A escrever, a vaguear, a falar para o ar, ou até contigo próprio. Vais ver o tão leve que vais sentir a tua alma. Faz-te bem a ti, e acredita que fará bem até a quem te rodeia.

 

Este foi um desabafo, com verdade, e com aprendizagem...

 

Grata pela oportunidade de o fazer, hoje com o post mais focado para o que sou, o que os outros são e o que afinal quero daqui em diante.

 

Namastê

 

É diferente ser Mãe de segunda viagem?

Romina Pallotta - Ilustraciones 1.jpg

 

Ser Mãe de primeira viagem, é realmente embarcar numa viagem em que desconhecemos os rumos. Mas ser Mãe de segunda viagem, implica conhecer o rumo da nossa viagem?!?

 

Não.

 

Uma parte, e pela experiência obtida da primeira aventura de ser Mãe, é claro que vai libertar inseguranças, como o do ser ou não ser capaz, ou ser ou não boa Mãe. 

 

Mas ao ser Mãe de primeira viagem, não implica que à segunda volta já esteja totalmente no auge da sabedoria, que não precisa de nada e de ninguém.

Até porque cada caso é um caso. E não há regra sem excepção.

 

Como Mãe de primeira viagem, digo-vos que fiz muita coisa ou escolhas assertivas. Instintivamente, o feeling maternal, ensinou-me à partida o que teria que fazer, o que teria de comprar, escolher para a minha bebé. A quem me tinha que dirigir em certas ocasiões, como dúvidas (porque as Mães as têm), receios, etc. Entre outras coisas, que nós Mães, sabemos sem tirar nem pôr.

 

E então se fosse à segunda ronda, neste momento, mudava algo? Ser Mãe de um segundo filho, não é a mesma coisa que ser de um primeiro? 

 

Sim, é. No entanto, sim EU mudava.

 

Coisas básicas e parvas, e outras mais complexas, mas que mudava, mudava.

 

Primeiramente o enxoval.

 

Nada de colchas para cama de bebé. Esta era a primeira coisa que eliminava. Não tem utilidade, pelo menos para mim.  Estava sempre metida aos pés da cama.

(Não sei como é convosco, mas a cama da minha bebé passava o dia todo desfeita. Porque a maioria do tempo, era lá, que descansava. Não ia fazer a cama a cada sono dela. Até porque o soninho da minha filha era de 15 minutinhos, no máximo. Então faria mais de 10 vezes a cama, por dia?)

 

Carrinho de bebé. Claro que vou tentar aproveitar o carrinho de bebé da Laurinha, para o segundo filho, mas por favor pensem bem antes de comprar.

Questões como, é prático ou não? Confortável para o bebé? Leve para uma Mãe colocar na bagageira do seu carro. E principalmente, até que fase vai dar o carro de passeio.

Nós, PAIS, principalmente Mães, pensar pensamos. Pensamos se tem 3 ou 4 rodas, se é giro e pouco mais...

No meu caso, tentei ser prática, comprei com uma boa relação qualidade preço, mas a verdade é que a partir do 20 meses da minha filha, deparo-me com um problema. A cadeira sobra do lado da cabeça, e para os pés está em falta. Sentada ela fica, mas as pernas bem dobradinhas, e isso custa-me por vê-la assim. Não acho cómodo.Há tanto carro de bebé no mercado, e eu fui escolher um justamente o meu com esse defeito que me incomoda tanto...

Nós grávidas, acho que só estamos formatadas para a parte BEBÉ, a bem dizer. Se tivesse que comprar para um segundo, deixava-me de m£rd*s (ops!!) e comprava o prático desde o momento do nascimento até à ultima cadeira. ( Isto porque a minha formatação já é outra, já pensa após fase criança)

 

Agora coisas de mulher.

 

ROUPA. É verdade que procuramos sempre o confortável. E eu, durante a gravidez estava sempre a pensar: "não vou gastar muito dinheiro em roupa, porque isto é uma fase" e limitei-me ao básico.

Ora bolas, eu sei que há mulheres que não gostam de se ver grávidas, mas eu delirei, ADOREI. E hoje arrependo-me não ter entrado na moda de grávida.

Arrependo-me de não ter comprado o belo do macacão de grávida, adorava-o, mas numa próxima não me escapa.

Adorava não ter usado só as benditas das leggins, mas numa próxima iremos a modas.

Eu acho magnifico estar grávida, e viver intensamente, amando o nosso corpo e sentindo bem connosco próprias é fenomenal. Podem crer que numa próxima vais de modas Soraia.

 

Agora após parto.

 

Aleitamento materno. Pouco ou nadinha vos falei da minha história. Sendo um tema que toca-me com tristeza. Mas também, ainda não é hoje que vos vou contar. Não me sinto preparada. É sempre um tema delicado, simples e complexo, para mim com muitos pontos de interrogação. Mas adiantando um pouco o assunto, num segundo filho, talvez desse-me a oportunidade de experimentar o mundo da amamentação. (Ponto)

 

Seriam estes, alguns pontos que pela experiência da primeira viagem eu mudaria numa segunda viagem.

 

Experiência transmite sabedoria, no entanto, tirando estas coisinhas, e num segundo filho, farei tudo como a primeira vez. Até porque, a idade manda, a gravidez é outra e o bebé também. Logo tudo é diferente.

 

E para vocês? É diferente ser Mãe de segunda viagem?  

As mães também choram...

crianca-filhos-choro-irritacao-mae-1320940525757_9

 

 

São dias…

 

Dias menos bons no meio de bons momentos proporcionados por aqueles que nos chamam mães.

 

É verdade que a maternidade não é só um mar de rosas, e quem o diz que o é, mente.

 

No entanto posso-vos dizer que nunca fui tão feliz e completa ao ser mãe.

 

Mas é como tudo na vida, tem os seus prós e os seus contras, mesmo que os prós sejam muitos mais que os contras, e por vezes ou SEMPRE, os prós “abafem” os contras.

 

Há quinze dias atrás, (sensivelmente), que a minha filhota adoeceu com uma amigdalite. Eram febres de 40 graus, não comia, estava completamente desregulada em horas de sono, devido às febres e à medicação. Enfim, daqueles momentos que não se deseja a ninguém e que parte o coração de qualquer mãe ao ver o pequenote naquele sofrimento.

 

Após iniciar a medicação, incluindo antibiótico, e passados 3 dias começou a melhorar.

 

Só que para a resguardar de reinserção da infecção, acabei por deixar comigo durante a semana toda, até esta segunda-feira.

 

Eu não sei já em que estado estava-mos.

 

Ela sem febre, mas numa fase muito complicada de birras,  dava a volta à cabeça do pessoal cá de casa.

 

 E eu a dar em louca por ser a que passava TODOOOO o tempo com ela, entre o bom humor e as birras, e estarmos ambas encerradas em casa, sem ver pessoas, respirar ar puro, enfim…

 

Tudo já era motivo para ambas estarmos numa fase critica.

 

Chega quinta-feira, mais um dia mal dormido, mais um dia desde cedo com as benditas das birras presentes, uiiii…

 

- Queres iogurte?

- Não…

- Queres pão?

- Não…

- Queres “isto e aquilo”?

- Não…

 

Depois vem o “SIM”

 

- Mãe “tuti”. (iogurte)

- Mãe pão.

-Mãe “banhanha”. (banana)

- Mãe “isto e aquilo”….

 

E depois vem: afinal não quer nada, e chora e chora…

 

E eu?!?

 

Chorando, claro…e dizendo à minha sogra: “eu sou má mãe…eu não percebo porque ela chora. Eu não percebo o que ela quer…eu não sei o que tem…ela não deve gostar de mim…”

 

E a minha sogra (uma querida): “Calma Soraia, tu és boa mãe…é normal isto “neles”, está ainda doentinha, há muito tempo que não sai de casa…tem calma…e ela gosta de ti”

 

Lá no meu hipo-hipo, acalmei-me, e depois de ressuscitar o meu Tico e o meu Teco, vejo que são momentos de mãe desesperada…

 

Um aparte:

 

Sou boa Mãe.

E ela gosta de mim, se não, não andava “pendurada” à minha perna todo o dia a dizer “Mãe, Mãe, Mãe…”

 

Quem não tem momentos de mãe desesperada?!?!

 

Acho que todas temos um dia desses…

 

Parece que alucinamos por momentos.

 

Hoje e depois de dias, e noites mais tranquilas, de rotina quase normalizada…já relembro com alguma graça, os meus últimos 15 dias.

 

Ser mãe dá-nos momentos que parece que o Mundo vai acabar ALI, mas tem outros que fazem nós Mulheres completamente felizes e realizadas.

 

Não troco por nada este meu título.

 

E já agora, não temas, porque afinal as mães também choram…mesmo que te pareça que estás a ficar maluca, não estás, é normal…ahahaha

 

Beijinhos muito grandes da Mamã Zen, Mamã com Estilo…

10 factos sobre mim na hora da refeição...

Podia ter sido pior. Podia....

 

Mas isto de estar há 3 dias "fechada em casa" com este tempo de cocó entre outras coisas impeditivas, não deu para mais. 

 

Estava eu a falar com o meu Marido sobre coisas / atitudes / manias estranhas que cada um de nós temos perante situações do dia-a-dia...

 

Aquelas menos improváveis de uma pessoa normal pensar, claro. Quando nos lembrámos das minhas...ahahahah

 

É que a realidade não é preciso ir buscar as dos outros, pois as minhas  já são estranhas e maníacas o suficientes  para rir um pouquinho.

 

original.jpg

 

 

Então entre nós dois, escrevemos 10 factos estranhos sobre mim na hora da refeição/comer.

 

(Depois deste momento realmente sinto que devo ser muito maníaca...ahaha)

 

Mas como não me quero achar a única maníaca da blogosfera, no fim vou nomear 10 blogues para convidar a partilhar connosco os factos estranhos de cada um perante a hora da refeição / comida.

 

Sou muito má, não sou?!?

 

Então aqui vai os meus 10 factos:

 

  1. Com fome?! Viro DIVAAAAAA...mas daquelas DIVAS que ninguém atura.
  2. Odeio ser interrompida na hora da refeição ( hora da refeição, hora sagrada)
  3. Detesto cruzamento de braços, por cima do meu prato quando estou a comer, para apanhar isto ou aquilo da mesa. 
  4. Não gosto de comer com os talheres dos outros
  5. Não gosto que insistem em provar algo que nunca degustei, e não tenciono degustar
  6. Deixo sempre 1/3 de leite/café/sumo no copo/caneca (mania desde pequena)
  7. Posso acordar ao meio dia, mas nunca são horas de almoçar sem tomar o pequeno almoço. ( Pequeno almoço até pode resumir-se à caneca de café com leite). Nem que almoce às 4 da tarde.
  8. Só tenho a sensação que tomei uma boa refeição se comer sentada, e principalmente à mesa.
  9. Apesar de saber cozinhar, há certas coisas que adoro fazer que não sei. É que feito pelos outros sabe sempre melhor, não sei ....(opsss a isto deve-se chamar preguiça ahahah) 
  10. E por fim, das mais GRRRRRR...Irrita-me os barulhinhos, ruidinhos insuportáveis e indesejados feitos pelos colegas de mesa.

 

Agora aqui vai os 10 blogues nomeados para o desafio dos 10 factos sobre mim na hora da refeição:

 

 

  1. dona pavlova
  2. Just Smile
  3. Camellia
  4. Me and my Boy
  5. Marisa Fernandes
  6. Just Mom
  7. A miuda
  8. As nossas voltas
  9. Princesa sem Tiara
  10. Bata e batom

 

Beijinhos a todas e divirtam-se nesta pequena reflexão hehehe

 

Mamã Zen, Mamã com estilo...

Redes Sociais no seu pior...

Inicio de semana, grande optimismo...

 

Volta a rotina, no meu caso, de segunda a sexta.

 

Todo o santo dia, há tarefas que são incapazes de ser irrepetíveis.

 

Se um lado cansa, ao menos por outro, já sabemos o que é certo acontecer.

 

Mas não venho falar de rotinas, propriamente...venho falar de algo que como todas as outras coisas de segunda a sexta e rotineiras, me irrita, tira-me do sério, mas parece que não vivo sem...

 

dislike.jpg

 

 

Todos os dias, e não devo ser a única, antes de deitar-me, tenho o vicio de "espreitar" as redes sociais. E todos os dias questiono-me porquê?! Porque continuo a fazer isso, se já sei á partida que é algo que me vai deixar menos bem, menos em equilíbrio, mais stressada, e por consequencia, pensativa e menos confortável para terminar o meu dia?!?! 

 

VICIO...que posso eu mais chamar a isto?! E sei que não sou a única a ter este tipo de atitude. Mas perguntam-se porque fico com estas "comichões" todas?!?!

 

Eu respondo.

 

As redes sociais, e mais propriamente o Facebook , irrita-me porque as pessoas não são capaz de mostrar as coisas boas da vida, as boas noticias, utilizar os pontos positivos do dia a dia.

 

Só postam desgraças, noticias do arco da velha, lamurias e desgostos...eu sei lá bem o que é o feed noticias do meu perfil privado....e penso de todos os utilizadores do Facebook.

 

Mas o mal não está nas redes sociais. E já que falo naquela que mais utilizo, o Facebook, não é ele que tem culpa destes quadros apresentados diariamente, mas sim as pessoas.

 

Precisamos de abrir consciências, abrir fronteiras, passar mensagens de paz, amor, união...isto fortalece grandes laços. Dá-nos momentos aprazerados. Ao contrário deste choque de negativismo que depositam, para todos ver, como se precisassem de aprovação, pena, ou sei lá bem...

 

Posso até ser dura, no que digo. Mas será que só sou eu que sinto isto?!?!

 

Todo o santo dia penso nisto...é verdade que só lá está quem quer, mas deixou de ser uma rede social positiva para ser algo incomodativo. O único beneficio, de momento que encontro, é mesmo e somente a facilidade de permanecer em contacto com quem não está perto.

 

Partilhem AMOR. Porque há várias maneiras de partilhar e demonstrar o AMOR.

 

Voltando às rotinas...

 

Hei-de quebrar esta rotina, de que nada sinto ser positiva, hei de quebrar...

 

                                                     

Soraia Romão

 

Semi-livres de "bichinhos dói-dóis"

Xiii...nem acredito nesta segunda-feira...

 

No fim de tantas semanas, com a minha pequenota sempre doente, parece que estamos semi-livres de "bichinhos dói-dóis".

 

mimado3.png

 

 

 

E falo "semi", porque a tosse ainda a atormenta...

 

Desde que a minha filha nasceu, sempre me disseram que a partir do momento que entra-se para o infantário, a lista de doenças terminadas em "-ites" começariam num piscar de olhos. Gostaria-vos de dizer, que o que dizem é mentira, mas infelizmente não o é. É bem verdade, para cansaço, preocupação e afins de uma Mamã.

 

Dói-me de a ver doente, dói-me de a ver molinha sem vontade de brincar e de ser ela própria...

 

Custa MUITOOOOOOOOOOO ver em semanas, a quantidade de "coisas" que por ela  passou.

 

Desde laringites, infecção pulmonar, conjuntivite, amigdalite viral, estomatite aftosa...

 

DEUSSSS, a minha meninaaaa...  

 

É que eu como Mãe, confesso que estou feita num OITO, como se costuma dizer. Sobrevivi, mas não deixo de ter cabelos em pé...

 

Nestas semanas a atenção foi toda e exclusivamente para ela...

 

A Mamã não pôde trabalhar...

 

A Mamã não pôde cuidar da casa...

 

A Mamã não teve direito a blogar...

 

A Mamã não teve direito nem para "se arrumar" hehe

 

Ai, ai, ai...

 

Agora toca a esperar que não venha mais uma, e que nos entre tantos, o sistema imunológico fique bem reforçado.

 

Desabafos de Segunda-feira, após longas semanas...

 

Bonito não?!?

 

Por ai Mamãs a sofrer do mesmo?!

 

 

 

 

Vê se te acalmas, meu querido 2016...

E quando acho que estou a chegar...

 

REFORMULANDO...

 

E quando eu acho que CHEGUEI, aqui, eis que não cheguei.

 

Parece um turbilhão de acontecimentos impeditivos para chegar até aqui.

 

Uns dizem que estou numa fase mais deprimida, ou talvez pessimista, no entanto não acho que assim seja.

 

Apesar desta minha nova opção de vida, ser feliz, grata por tudo, mais calma, tranquila, resumindo: “ZEN”, tem sido tudo pelo o avesso.

 

Não que queira, que seja desculpas...

 

Mas CARAMBA... 2016 está ao rubro em acontecimentos.

 

img_2124.jpg

 

 

Podia dizer, ou tentar ver a parte positiva deles, mas de momento não consigo.

 

Não por falta de positivismo, esperança ou sei lá bem...mas talvez seja um:

 

“EHHHIIII preciso de RESPIRAR, respirar BEM FUNDOOOO...apanhar folgo, para continuar...”

 

Por isso tudo, vê-lá se te acalmas, meu querido 2016.

 

Sei que dois meses já foram, entre quase 60 dias, também houve coisas boas...

 

Mas também não te pedi (2016) tanta coisa menos boa... fazes-me pensar que não fui clara e objectiva com os objectivos que tracei para ti, 2016.

 

Necessitas que reformule?!? Ou vamos entrar por fim de pé direito?!

 

É que isto de ter muita vontade própria, somente não dá...também preciso de ti...

 

Vá...CONFIO em TI, eu também CONFIO em MIM...

 

 

Soraia Romão

 

 

Novos objectivos, novos desafios...

E na rotina do meu dia a dia para 2016 implementei, várias "coisas" e desafios novos.

 

Hoje venho partilhar convosco aquilo que ando há 4 dias a fazer, no entanto, a preparar há umas semanas atrás.

 

Ter em mente estes novos desafios, faz de mim uma pessoa com energia renovada.

 

A verdade é essa, quero renovar a minha energia, e de todo o Universo que me rodeia.

 

Sei que por vezes parece tudo tão surreal, mas na verdade e na prática são coisas que sem querer muitos de nós já as pratica ao longo do dia.

 

O que para uns parece fácil, para outros é necessário implementar rotinas, reeducar a mente e o corpo para novos objectivos.

 

Em primeiro lugar: A MINHA AGENDA

 

Era algo que já usava, no entanto vou dar mais importância neste novo ano. Adoro fazer "planos" para o dia, como: lista de tarefas a fazer em casa, lista de tarefas a fazer no meu trabalho e no blogue, e alguns extras, como hobbies.

Agendar o tempo, liberta-nos do peso que "hoje nada fiz" para "boa, consegui fazer o que me propus neste dia". Para além de que uma agenda é muito boa para não causar esquecimento em todos os aspectos. Distraída como sou e como a minha Mãe diz: "só não perdes a cabeça porque a tens agarrada ao corpo", faz todo o sentido de ser o meu "alarme diário".

 

Segundo: O MEU DIÁRIO DA GRATIDÃO

 

Quase todos nós, no final do ano fazemos um balanço do que foi o nosso ano, quase como um "Best off" , então porque não fazer mensalmente, ou até diariamente?!

Como o nome indica, acima, no meu caso é um DIÁRIO, logo eu todos os dias gratifico o meu dia por escrito neste meu diário, fazendo o meu balanço e agradecendo, por todos os acontecimentos do meu dia.

Na minha opinião acho que é algo muito positivo. Por vezes não damos conta, nem valor aos pequenos momentos do dia, fazendo cara feia dia após dia, e dizendo constantemente que nada de bom nos acontece. Mas isso não é verdade, numera, valoriza e agradece. Agradecer é muito importante. Podes agradecer a ti mesmo, pelo o teu dia.

 

Com este meu diário, também iniciei um desafio chamado #desafiodagratidao2016, #gratidao2016.

Todos os dias publico, no meu espaço, blogue ou redes sociais, uma gratidão convosco. É um compromisso que assumi comigo mesmo e ao mesmo tempo uma reflexão.

 

Terceiro: ARTE TERAPIA

 

Sabem aqueles livros fantásticos de mandalas para colorir?! Estou fascinada. 

Numa fase como estou a passar, que como já falei num post anterior, sobre a depressão pós-parto,( podem ler AQUI), tem sido fantástico para aliviar o stress, reflectir e até meditar.

Propus-me, e tenho cumprido, que a cada semana pinto uma mandala, e no final da semana, reflicto sobre ela, escrevendo mesmo ao redor dela o que me transmite.

 

Quarto: UM BOM LIVRO SÁBIO

 

Ler, de todo que não fazia parte da minha vida, no entanto há um ano atrás comecei a tomar gosto pela leitura.

Gosto de livros que me incutem algo de novo para a minha vida. E é isso mesmo que faço: LEIO, para estar em constante aprendizagem.

Sabedoria nunca é demais. E não gosto de pensar que um sou ser parado no tempo. 

Leitura já faz parte da minha rotina de autoconstrução.

 

Quinto: YOGA

 

Não há mais desculpas, pratico o que me faz bem, o que me equilibra por inteiro.

Por isso 2016, sem hesitações trouxe-me esta "drástica" decisão, de que não há mais desculpas para fazer aquilo que me faz bem, e que me torna numa pessoa melhor.

As aulas de Yoga, já fazem parte da minha agenda semanal de 2016 e ponto final.

 

Sexto: DESTRALHAR

 

Já comecei em 2015 e continuo para 2016. Destralhar é desfazer-me de tudo aquilo que não me faz falta e que só ocupa espaço.

Objectivo de 2016 é destralhar os armários cá de casa, organizar e simplificar tudo para uma vida mais fácil para todos nós.

Já agora, para aqueles que estão numa de "destralhar a casa", façam doações de aquilo que não precisam e ainda está útil, pelo menos para outro alguém.

Aqui em casa, com uma princesinha de 20 meses, o destralhar tem mesmo que fazer parte do vocabulário desta casa, quase a cada 3 meses.

 

Sétimo: O DESAFIO DAS 52 SEMANAS (FINANCEIRO)

 

Muitos já devem ter visto por ai, o tão falado por este mundo cibernético, sobre o desafio das 52 semanas, em que consiste, em todas as semanas fazer uma poupança de X dinheiro, num mealheiro ou pote, que em conclusão, ao final das 52 semanas terá um bom "mealheirozito" acumulado.

Confesso que há semanas que os valores já são muito elevados, no entanto, estamos aqui para CONSEGUIR realizar o desafio.

Para os mais curiosos sobre o desafio, convido-vos a visitar o blogue que me incutiu o bichinho, As dicas da Bá.

 

E bem aqui fica os meus novos objectivos, desafios, implentações para 2016.

 

O Mundo gira e transforma-nos, e todos os dias são oportunidades. Mas já que estamos numa de novo ano, vida nova, vamos aproveitar a boa energia que flui. Porque nós somos como as borboletas, em constante metamorfose, em constante mudança.

 

metamorfose.jpeg

 

 

Espero que tenham gostado, partilhem comigo as vossas dicas...

 

Beijinhos grandes da Mamã Zen, Mamã com estilo...

 

A minha gratidão de hoje...

Bem...e hoje, venho revelar um pouco mais de nós.

 

Esta é uma forma de gratidão que tenho para convosco, por estarem há praticamente  um ano a acompanharem-me.

 

Há dias partilhei uma foto "nossa" no Facebook do blogue Mamã Zen, Mamã com estilo... e juro-vos que senti-me tão acarinhada por todos vós, de forma tão especial, e sem sentir receios.

 

Sim, receios, porque ficamos sempre na dúvida no que fazer sobre a nossa confidencialidade ou não. Mas pensei e pensei, e sem hesitar coloquei esse miminho para vós, pois de fato o que faz este blogue, sou EU, a minha PRINCESA e VOCÊS.

 

Então porque limitar-me tanto?!

 

Quando nós damos com o coração, é com o coração que nos "oferecem" o melhor.

 

E o melhor é mesmo isso...fazer o que gosto e receber todo o vosso apoio, sentir o carinho, o amor, mesmo que muitas pessoas não compreendam o que é isto de uma vida reflectida num blogue, e nas suas redes sociais.

 

Então aqui fica, nesta etapa do desafio da gratidão de 2016, a minha gratidão do dia de hoje. 

 

Hoje o terceiro dia do ano.

 

A Princesa e a Mamã Soraia, grata por todas as maravilhas...

 

11139976_743335902466012_4374192213171684485_n.jpg

 

Bom resto de Domingo, beijinhos nossos, no vosso coração, e já agora BOM ANO 2016.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D