Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mamã Zen, Mamã com estilo...

O blogue que retrata da vida de uma mulher após maternidade. Entre biberões e batons, um mundo cheio de descobertas ao estilo Zen.

Mamã Zen, Mamã com estilo...

O blogue que retrata da vida de uma mulher após maternidade. Entre biberões e batons, um mundo cheio de descobertas ao estilo Zen.

Por aquele que não se sabe defender, eu defendo!!

13621649_1183414841678992_1644254743_o.jpg

 

 

Todos os dias abro o Facebook, e todos os dias continuo a ver mais do mesmo.
 
Desta vez falo-vos do abandono dos animais.
 
Nunca senti ódio por nada, mas quando penso nas coisas tão más e ruins que fazem aos animais, o meu coração explode de raiva...
 
Não suporto pessoas que fazem dos animais objectos, não suporto os maus tratos, o abandono...
 
Choca-me que o Mundo esteja tão atrasado quando se trata de direitos dos animais.
 
Choca-me quando alguém se ri de certas situações degradantes sobre os mesmo.
 
É verdade que nem todos podemos gostar do mesmo, mas já que não gostam, respeitem aqueles que não têm forma de se defender, eles, os animais (cães, gatos...TUDO).
 
Há algo que trago comigo sempre: quem não gosta e trata mal os animais, não respeitando os mesmos, não é boa gente. E daqui ... avalio pessoas.
 
Esta foto, é uma num MILHÃO que tenho, da minha filha mimando uma das "manas de 4 patas".
 
Sim, os meus animais estão à vontade em casa. Posso encontrar pelos pela minha roupa, ter o dobro do trabalho a higienizar a nossa casa, mas nada substitui o amor tão puro que eles nos dão em troca de nada.
 
É assim que vai continuar a ser cá por casa. 
 
Somos uma família.
 
Nós (pessoas), e os três patudos.
 
A Laura, desde o primeiro dia de morada cá em casa, teve sempre contacto com as "maninhas patudas". O meu desejo é educa-la a amar e respeitar o próximo. Que o próximo inclua os animais.
 
E agora um a parte.
 
Esta, que vêem na foto é a Pipoca. 
Foi abandonada numa IC (estrada).
Graças a Deus, cruzou-se connosco. Tem vários problemas de saúde, visivelmente físicos, e para quem a conhece, visivelmente psicológicos. 
Os físicos são irreversíveis. Os psicológicos: o tempo, a paciência, o nosso amor por ela, poderá fazer parte da cura. Já se nota diferença. No entanto, ainda há muito trauma ao desconhecido.
Antes de Laura nascer, temi pela relação de ambas. Mas aqui está a prova. Ambas se respeitam, e ambas se adoram. A Pipoca sabe que não pode magoar a Laura, e a Laura sabe que a Pipoca não é o seu brinquedo.  
 
 
Espero que assim continue. 
 
E sonho para que o Mundo comece a dar importância, a respeitar e dizer não ao abandono, destes pequenos indefesos.
 

Redes Sociais no seu pior...

Inicio de semana, grande optimismo...

 

Volta a rotina, no meu caso, de segunda a sexta.

 

Todo o santo dia, há tarefas que são incapazes de ser irrepetíveis.

 

Se um lado cansa, ao menos por outro, já sabemos o que é certo acontecer.

 

Mas não venho falar de rotinas, propriamente...venho falar de algo que como todas as outras coisas de segunda a sexta e rotineiras, me irrita, tira-me do sério, mas parece que não vivo sem...

 

dislike.jpg

 

 

Todos os dias, e não devo ser a única, antes de deitar-me, tenho o vicio de "espreitar" as redes sociais. E todos os dias questiono-me porquê?! Porque continuo a fazer isso, se já sei á partida que é algo que me vai deixar menos bem, menos em equilíbrio, mais stressada, e por consequencia, pensativa e menos confortável para terminar o meu dia?!?! 

 

VICIO...que posso eu mais chamar a isto?! E sei que não sou a única a ter este tipo de atitude. Mas perguntam-se porque fico com estas "comichões" todas?!?!

 

Eu respondo.

 

As redes sociais, e mais propriamente o Facebook , irrita-me porque as pessoas não são capaz de mostrar as coisas boas da vida, as boas noticias, utilizar os pontos positivos do dia a dia.

 

Só postam desgraças, noticias do arco da velha, lamurias e desgostos...eu sei lá bem o que é o feed noticias do meu perfil privado....e penso de todos os utilizadores do Facebook.

 

Mas o mal não está nas redes sociais. E já que falo naquela que mais utilizo, o Facebook, não é ele que tem culpa destes quadros apresentados diariamente, mas sim as pessoas.

 

Precisamos de abrir consciências, abrir fronteiras, passar mensagens de paz, amor, união...isto fortalece grandes laços. Dá-nos momentos aprazerados. Ao contrário deste choque de negativismo que depositam, para todos ver, como se precisassem de aprovação, pena, ou sei lá bem...

 

Posso até ser dura, no que digo. Mas será que só sou eu que sinto isto?!?!

 

Todo o santo dia penso nisto...é verdade que só lá está quem quer, mas deixou de ser uma rede social positiva para ser algo incomodativo. O único beneficio, de momento que encontro, é mesmo e somente a facilidade de permanecer em contacto com quem não está perto.

 

Partilhem AMOR. Porque há várias maneiras de partilhar e demonstrar o AMOR.

 

Voltando às rotinas...

 

Hei-de quebrar esta rotina, de que nada sinto ser positiva, hei de quebrar...

 

                                                     

Soraia Romão

 

Cresces-te, e nem dei conta...

crescer.jpg

 

 

 

Sei que estou prestes a deixar de ter uma bebé para ter uma criança.



Sei que o tempo passa, e a lei, é tu cresceres, desenvolveres, tornares-te uma criança, posteriormente e a seu tempo, uma adolescente, até chegares à fase adulta.



Sei que todas estas fases são imensamente importantes, tal como foi para eu tornar-me na mulher que hoje sou. Mas será que como Mãe, que sou, estarei preparada para ver cresceres dessa forma? Essa forma, em forma de relâmpago, que escapa-me entre os dedos das mãos, essa tua evolução.



Primeiramente, 9 meses de formação, gestação, a dita gravidez, em que posso dizer que foram os 9 meses mais rápidos, e também mais belos na minha vida.



Nasceste, e num abrir e fechar de olhos já não és aquele bebé, que para tudo dependia de mim (apesar que para mim sempre serás a minha bebé). Agora, com 23 meses, quase 24, estás tão independente para os "primeiros passos" de uma criança.



A evolução é de dia para dia, ou repentinamente, tanto no corpo como em sabedoria. E que sabedoria...



Ontem, como todos os dias, fui abrir a gaveta para buscar umas calças para vestires. Uma não serve, duas não serve, e mais uma vez, em duas semanas o teu "guarda-fato " diminuiu, como por magia. CRESCES-TE.



Cresces-te, e nem dei conta...e não foi por falta de atenção, é simplesmente porque aos olhos desta tua Mãe, continuas a ser uma bebé, a bebé da Mamã.



Amo-te AMOR GRANDÃO da Mãe.



Beijinhos da Mamã Zen, Mamã com estilo...

 

Após depressão pós-parto: O Desmame...

Segunda-feira, e decidi vir aqui falar de algo pouco falado. Porque afinal na maternidade só se costuma mostrar as rosas e não os espinhos.

 

Talvez por vegonha, por aqueles que julgam sem saber ou sem passar "por elas", sem saber o que é realmente, o que é, e o que sentimos e como nos sentimos.

 

self-love.jpg

 

 

Já algum tempo que falei aqui no blogue de depressão pós parto, e passo-vos a deixar AQUI, um pouco da minha história.

 

Eu tive depressão pós-parto, finalmente que me sinto bem, mas está na hora do desmame dos medicamentos. E então? Então, mais um espinho onde estou constatemente a sentir a dor no meu corpo.

 

Fazer desmame de medicação para depressão, não é de todo fácil. Eu segui o tratamento à risca, e estou a fazer o desmame, após longos meses de tratamento, como me foi indicado pelo médico.

 

Mas sabem o que é um vulcão em constante erupção?!

 

Assim sou eu. O bom, é ter um marido compreensivel, e perceber que estou numa fase menos boa, para ficar numa fase fantástica. Porque o coitado é que sofre com as erupções do vulcão. O resto é tranquilo.

 

Só para quem me conhece bem, olha nos meus olhos e vê que durante o dia há momentos que mais vale estar calada, quietinha, sossegadinha, e depois de passar, já podem abrir a boca para falar comigo.

 

O que mais me tranquiliza, é que apesar deste fervilhar de sentimentos, só um me é constante e me calma: a minha filha.

 

É incrivel.

 

Talvez porque a ache especial...

 

Porque sou a Mamã dela e vejo super poderes de cura na minha menina.

 

Mas Mãe que é mãe é assim. Pode desabar o Mundo, mas se as crias estão bem, o resto não interessa.

 

Nesta fase de desmame de antidepressivos, é a fase que estou a concentrar todas as minhas energias em mim, pois necessito. 

 

Recebo o amor, a paz, a tranquilidade, daqueles que demonstram preocupação, amor e carinho por mim, dos poucos mas os melhores amigos que tenho e da minha familia.

 

Tem sido dificil aceitar, como foi de aceitar a depressão pós parto, que o desmame, faz me continuar a precisar de ajuda e de apoio dos meus queridos.

 

Mas nesta semana que refleti, que quis vir desabafar um pouco da minha vida aqui no blogue, porque poderá haver mais pessoas assim, sem talvez conseguirem compreenderem o que está a passar, perdi a vergonha de ser apontada como "olha esta está maluca", "passou-se" e finalmente aceitar mais uma vez a ajuda da familia e dos amigos, e olhar para tudo isto como uma realidade.

 

E que se dane a opnião dos outros.

 

Eu estou aqui, e depois desta fase, fico certamente FANTÁSTICA.

 

Porque a Mamã é forte, luta contra tudo para vencer, e tem os melhores a amá-la.

 

Agora um conselho a quem menos entende do assunto: Não julguem, ajudem...

 

Graças a Deus eu tenho quem o faça por mim, mas á muita gente a passar por a depressão pós parto, ou mesmo depressão, e até mesmo pela recuperação sózinhas. E estar só é como faltar o sol, num céu azul, completamente limpido.

 

Beijinhos a todos com muita coragem... e grata ao Universo por todos os ensinamentos que me tens dado.

 

 

Soraia Romão

Mamã Zen, Mamã com estilo...

 

 

 

A maternidade como uma oportunidade de realinhamento profissional

Há coisa e coisas. Coisas que não sabemos explicar, mas que passam no nosso caminho com o sentido de nos deixar uma mensagem. 

Digo isto, e para que vocês consigam perceber o que estou a falar, vou vos contar a minha situação presente.

 

Neste momento a minha bebé tem 12 meses, e sou imensamente grata por poder ser eu a tomar conta dela todo este tempo. Graças a Deus a minha vida assim trilhou para que eu própria pudesse cuidar 24 horas, sobre 24 horas, sem ter que levá-la para o infantário.

 

Quando ainda era gestante, eu tinha tudo muito definido na minha cabeça. Por minha concordância e do Papá, tinhamos, proposto colocar a bebé, mais ou menos aos 8 meses, no infantário. Pensávamos na parte cognitiva da bebé, no beneficio que podia ser para ela e para o seu desenvolvimento, não sabiamos é que depois dela nascer, e com o passar do tempo o coração de Mamã, fica menos prodisposto a partilhá-la com o desconhecido. Acho que nos tornamos um pouco egoistas e egocêntricas, pensamos no bebé sim, mas pensamos na dor que nos causa ver os nossos rebentinhos nas mãos dos outros que mal conhecemos. Será que fica bem? Será que sofre pela minha ausência? Será, será, será.....? E assim continuamos.

Como já mencionei, eu sou grata por ter oportunidade de ser eu a cuidar da minha filha a tempo inteiro, outros nem sequer têm essa opção, simplesmente têm que colocar nos infantários, ou contratar alguém para cuidar dos seus filhos, porque têm que trabalhar fora de casa.

 

Eu continuo com a mesma oportunidade de poder continuar a ser EU, a cuidar da nossa bebé, mas a verdade é que também trabalho, apartir de casa. Também sou, no melhor que posso, dona de casa. Também sou, o melhor que até agora consigo, e que a maternidade deu-me oportunidade de ser, blogguer. E sobretudo, sou Mamã.

Sou tanto numa só pessoa, que por vezes sinto que cheguei ao fim do dia, e perdi-me no meio de tanta "profissão", principalmente na mais gratificante de ser Mamã.

E as horas passam, e o dia passou, e qualquer coisa ficou por fazer. E eu, reclamo em voz alta, mas comigo mesmo, porque deixei tarefas para trás.

 

A verdade, é que não somos super heroinas, ou somos. hehehe

Exigimos muito de nós. Por vezes não deviamos.

 

Voltando ás nossas ideias bem definidas, passou os 8, 9, 10 e por ai fora, meses, e não consigo ceder, render-me ao melhor momento para colocar a nossa bebé no infantário.

O Papá diz à Mamã: "Também precisas tempo para trabalhar....também precisas tempo para fazer as tuas coisas."

Eu sei que é verdade, mas dói, dói aqui dentro. Porque o tempo passa a voar, e eu não quero perder nada, que seja importante do melhor de mim, a minha Borboleta.

 

Eis que recebo um e-mail, e porventura, clico no seguimento de videos no Youtube, onde deparo-me com este video, que aqui vos deixo, tão direcionado à minha vida neste momento. Aos medos de quando descobrimos que estamos grávidas, ao medo do futuro, ao medo de avançar, ao medo de lutar pelos os sonhos, a tudo.

 

E ainda hoje, quando estava a olhar para ela, eu senti a gratidão de cuidar todos os dias dela, de fazer parte da  minha vida todos os minutos, até mesmo quando estou a trabalhar.

 

Eu tenho o projeto nas minhas mãos, eu tenho os meus sonhos comigo, e eu sou MÃE acima de tudo, mesmo quando partilho a minha filha, com alguém que sabe cuidar dela com respeito e dedicação.

Porque hoje, que sou Mamã, tudo o que faço é em prol do melhor para ela. Para uma vida melhor, um futuro melhor, para nós FAMÍLIA.

 

Aqui vos deixo um video inspirador.

A maternidade como uma oportunidade de realinhamento profissional

 

 

Beijinhos muito grandes da  "Mamã Zen, Mamã com estilo..." .

 

 

 

Aprender a gostar de ti...

Olá a todos...

Tenho estado aqui a pensar a melhor forma de gerir o blog. Pois com um nome tão abrangente que é,   "Mamã Zen, Mamã com estilo...", posso ir por vastos temas, mas não queria perder rumo e por isso estou a procurar a melhor forma de gerenciar o meu blog. Mas como todos os dias, hoje, parece que surge algo novo, e hoje estou reflexionista, como algum tempo já não andava por aqui. 

Isto porquê? Porque encontrei esta frase (que até publiquei na minha página de Facebook):

"Com o tempo você vai percebendo que para ser feliz, você precisa aprender a gostar de você e principalmente,a gostar de quem também gosta de você."

 

Esta frase é a pura verdade.

Eu lembro-me que eu para gostar de mim, esperava constatemente apoio e palavras boas dos outros, para eu finalmente concluir, "Eu sou...". Mas não têm que ser assim. E no dia que vi que não era assim, acreditem, eu passei a ser feliz.

A contemplar o que a vida me deu. O que sou. Quem sou. Sem ficar a espera do aval de ninguém.

Quando estamos fragelizados, precisamos de apoio. Mas o melhor apoio, somos nós próprios. 

Nós somos o melhor amigo de nós próprios, do nosso coração e da nossa mente.

Implorar amor, carinho, apoio, só nos dá fraqueza. E estamos a dizer perante os demais, que somos fracos.

E tu não queres ser fraco/fraca. Tu não és fraco/fraca.

Medita todos os dias sobre ti. Como és como pessoa. Como ages com os outros.

Reflete sobre as tuas acções. O que achas que está certo, ou menos certo. 

Quem está contigo por seres TU, e não por seres o que os outros querem que sejas.

Quem dá valor à tua pessoa, quem dá valor ás tuas atitudes.

Essas são as pessoas que asseguir de ti própria/o, gostam de ti. 

Aprende a gostar dessas pessoas tal e qual como elas gostam de ti. Porque te aceitam, como tu és. 

Já reparas-te que secalhar são a essas pessoas que dás menos valor? Dá-lhes valor. Aos verdadeiros. Os outros, ignora, vai ignorando, e vai sendo cada dia que passa mais e mais feliz.

Ninguem é perfeito, por isso, não exigas, aceita. Alguem fez o mesmo por ti, antes mesmo de tu teres-te aceite.

 

Beijinhos muito grandes da  "Mamã Zen, Mamã com estilo..." 

CINDERELLA nos cinemas...

Olá, Olá 

Tão cedo por aqui? Pois é, cedinho. Apesar que todos os dias acordo por volta das 7:30h da manhã,( porque a minha Borboleta, é miuda madrugadora ), existe uma rotina que não deixa ter tempo para vir postar logo assim que o dia nasce. Pois primeiro a Borboleta acorda, a Mamã acorda de um olho, e metade do corpo, num plis-plás já estamos fora da cama, mas a Mamã confessa, que deixou a outra metade do corpo, lá deitadinha e no aconchego das mantinhas (imaginário, ÓBVIO), meia hora passada a Mamã acorda por inteiro, e está fresquinha, a tomar o pequeno almoço, na companhia da Borboleta, CLARO.  Mas estretanto só para vos dizer, que este post que estão a ler...é fresco e fofo, porque foi agendado para estar aqui logo pelas 7:30h da manhã.  (É como os padeiros...cozem à noite o pão para de manhã venderem "fresquinho" nas suas padarias ). Bem deixemos de conversa que não interessa...

No Domingo passado, eu e uma Borboleta Amiga, fomos ao cinema. Imaginem a ver o quê? 

A ver a minha tão querida e esperada "CINDERELLA".

Sempre fui muito de gostar de ver filmes de fantasia, principalmente deste tipo, que remata para as histórias contadas na minha infância. E assim que vi o trailler pela primeira vez...fiquei tão radiante, pior que criançaaaaa, CONFESSO.

Eu só queria que chegasse o dia 19 de Março para o filme ser lançado nos cinemas. 

Como sou cliente NOS, e tenho cartão para cinema NOS, arrastei, SIM, não convidei, ARRASTEI a minha amiga e lá fomos nós ver o filme. 

Só vos posso dizer que o filme é simplesmente LINDO. A todos os níveis.

A amiga chorou, chorou, saiu de lá de olhos inxados ahahahah  (quando ela ler isto vai-me matar), mas eu não chorei 

Calma o filme não é dramático, mas tem partes muito emocionantes com licões marcantes.

Vou deixar-vos aqui o trailler. Sem vos dizer pouco mais do que isto: Bondade e Coragem. 

Estas são as duas palavras que para mim resumem o lindo filme "Cinderella".

Se vos conto mais, perde o interesse. Levem as vossas crianças ao cinema...elas vão aprender uma linda história. 

Beijinhos muito grandes da  "Mamã Zen, Mamã com estilo..."

 

Grata, por tudo, por este filme maravilhoso, e pela companhia da amiga Borboleta.

 

 

E o porquê de tanta dificuldade....

Pois é, tanto tempo ausente sem um porquê. Ideias não faltam, mas não há propósito para um propósito.

Falta algo.

Vontade? Não, essa há muita que sobre. Mas dei conta que tudo o que fazemos é assim. 

Nós temos ideias, sonhos, projetamos mas quando passa a ser muito cumum aos demais começam as dificuldades.

Temos que ter coragem e força para os enfrentar, para superar, para conquistar...

E aqui estou eu. Espero que seja para ficar, sem pausas, pois amo demais este projeto.

É tanto eu, como tantos eu's que ai andam. Eu's com garra de lutar e vencer.

A vida tem tanto de bom para nos dar e levamos os dias a focar-nos no menos bom que há nela. 

Obrigada Universo por este SOL RADIANTE que reflete em mim enquanto escrevo estas palavras. Haja LUZ. 

 

Haja LUZ para todo o Universo. Grata.

Beijinhos da "Mamã Zen, Mamã com estilo...Mamã Zen, Mamã Reflexionista..."

Confiar...e seguir em frente...com FORÇA

A todos...um OLÁ do tamanho do UNIVERSO.

Porque mesmo menos bem, continuo...aqui, a confiar, a ser, a esperar, a acreditar, a ser...eu. 

Porque obstáculos são provas à nossa força interior ... para crescermos.

Mais um dia...a crescer, a ultrapassar, a ser...eu, a ser eu, a ser EU.

Amanhã é mais um dia que permitará-nos recomeçar. Então recomecemos.

Grata pelo o dia de hoje, apesar de estar de  apertadinho...confio em ti.

Beijinhoooos, Beijinhos da "Mamã Zen, Mamã com estilo...Mamã Zen, Mamã reflexionista..." 

 

 

Há melhor post do que este?

Eu a pensar, o que vai sair hoje? Eis que vejo esta imagem...

10519511_701939503235752_3358334201887455458_n.jpg

 

E não é que é verdade?

Sou Mamã babada. Ser mãe é amor que cresce todos os dias,  que bate fora de nós, é Amor em estado puro...

É tudo numa Mulher...

E vocês Mamãs? Que dizem? 

Grata por esta Dádiva de ser Mãe, de ser tua Mãe...minha filha do .

Beijinhos beijinhos da "Mamã Zen, Mamã com estilo..."

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D