Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mamã Zen, Mamã com estilo...

O blogue que retrata da vida de uma mulher após maternidade. Entre biberões e batons, um mundo cheio de descobertas ao estilo Zen.

Mamã Zen, Mamã com estilo...

O blogue que retrata da vida de uma mulher após maternidade. Entre biberões e batons, um mundo cheio de descobertas ao estilo Zen.

Aquilo que nos tornamos depois de ser Mãe

Realmente nós mulheres somos extraordinárias.

E não falo de mim... Falo de todas aquelas que quando parem suas crias, transformam se como por magia em Mãe. É mesmo uma transformação desde a hora que nasce.

Fogem os medos, as inseguranças e parece que sabemos fazer lhes todos os cuidados que necessitam, de uma vida.

 

FB_IMG_1513240367562.jpg

 

Esta pequena... esta minha Laurinha, veio dar me uma grande lição.

A lição: que tenho muito mais sabedoria e capacidades, que aquelas que alguma vez imaginei ter.

 

Por ela sou TUDO.

 

Não sou Mãe perfeita, porque ninguém é, mas ela ensina me a ser a cada etapa da sua vida a sua melhor Mãe, e sem dúvida um ser humano melhor. 

 

Este é o nosso BOM DIA 😊 Mamã despenteada e ensonada... Pequenota pronta pra brincadeira. De qualquer jeito 😄 ❤️

As mães também choram...

crianca-filhos-choro-irritacao-mae-1320940525757_9

 

 

São dias…

 

Dias menos bons no meio de bons momentos proporcionados por aqueles que nos chamam mães.

 

É verdade que a maternidade não é só um mar de rosas, e quem o diz que o é, mente.

 

No entanto posso-vos dizer que nunca fui tão feliz e completa ao ser mãe.

 

Mas é como tudo na vida, tem os seus prós e os seus contras, mesmo que os prós sejam muitos mais que os contras, e por vezes ou SEMPRE, os prós “abafem” os contras.

 

Há quinze dias atrás, (sensivelmente), que a minha filhota adoeceu com uma amigdalite. Eram febres de 40 graus, não comia, estava completamente desregulada em horas de sono, devido às febres e à medicação. Enfim, daqueles momentos que não se deseja a ninguém e que parte o coração de qualquer mãe ao ver o pequenote naquele sofrimento.

 

Após iniciar a medicação, incluindo antibiótico, e passados 3 dias começou a melhorar.

 

Só que para a resguardar de reinserção da infecção, acabei por deixar comigo durante a semana toda, até esta segunda-feira.

 

Eu não sei já em que estado estava-mos.

 

Ela sem febre, mas numa fase muito complicada de birras,  dava a volta à cabeça do pessoal cá de casa.

 

 E eu a dar em louca por ser a que passava TODOOOO o tempo com ela, entre o bom humor e as birras, e estarmos ambas encerradas em casa, sem ver pessoas, respirar ar puro, enfim…

 

Tudo já era motivo para ambas estarmos numa fase critica.

 

Chega quinta-feira, mais um dia mal dormido, mais um dia desde cedo com as benditas das birras presentes, uiiii…

 

- Queres iogurte?

- Não…

- Queres pão?

- Não…

- Queres “isto e aquilo”?

- Não…

 

Depois vem o “SIM”

 

- Mãe “tuti”. (iogurte)

- Mãe pão.

-Mãe “banhanha”. (banana)

- Mãe “isto e aquilo”….

 

E depois vem: afinal não quer nada, e chora e chora…

 

E eu?!?

 

Chorando, claro…e dizendo à minha sogra: “eu sou má mãe…eu não percebo porque ela chora. Eu não percebo o que ela quer…eu não sei o que tem…ela não deve gostar de mim…”

 

E a minha sogra (uma querida): “Calma Soraia, tu és boa mãe…é normal isto “neles”, está ainda doentinha, há muito tempo que não sai de casa…tem calma…e ela gosta de ti”

 

Lá no meu hipo-hipo, acalmei-me, e depois de ressuscitar o meu Tico e o meu Teco, vejo que são momentos de mãe desesperada…

 

Um aparte:

 

Sou boa Mãe.

E ela gosta de mim, se não, não andava “pendurada” à minha perna todo o dia a dizer “Mãe, Mãe, Mãe…”

 

Quem não tem momentos de mãe desesperada?!?!

 

Acho que todas temos um dia desses…

 

Parece que alucinamos por momentos.

 

Hoje e depois de dias, e noites mais tranquilas, de rotina quase normalizada…já relembro com alguma graça, os meus últimos 15 dias.

 

Ser mãe dá-nos momentos que parece que o Mundo vai acabar ALI, mas tem outros que fazem nós Mulheres completamente felizes e realizadas.

 

Não troco por nada este meu título.

 

E já agora, não temas, porque afinal as mães também choram…mesmo que te pareça que estás a ficar maluca, não estás, é normal…ahahaha

 

Beijinhos muito grandes da Mamã Zen, Mamã com Estilo…

Mãe aos olhos dos filhos...

Todos os dias são dias para falar daquela Rainha da nossas vidas, a nossa Mãe.

 

mae.jpg

 

 

Não é por ter sido ontem um dia inteiramente, e dedicado à Mãe que deveria estar a falar-vos dele. Mas sim todos os dias, sem data ou hora marcada, afinal todos os dias são dias para falar dela.

 

Aos olhos de os filhos, as Mães sabem tudo. Têm poderes super especiais. Conseguem tudo e arranjam forma de solucionar quase o insolucionável. 

 

Pelo menos aos meus olhos é assim...

 

Ela me protege, mima-me, faz sentir-me que sou o maior tesouro da vida dela. Eu e os meus irmãos. Foi por nós que sempre tivemos uma grande mulher em frente a grandes batalhas, que por sua vez uma guerreira de sucesso.

 

Agora que sou crescida, (no entanto para ela sempre bebé), é a minha vez de cuidar desta guerreira.

 

Já que, infelizmente, não são imortais, haja alguém que cuide de guerreiros como a minha Mãe e tantas outras como ela.

 

Haja os filhos que sejam seu escudo.

 

Haja os filhos que com suas asas as possam proteger sempre.

 

Haja filhos, que cresçam e sejam numa continuidade Mãe dos pais, e Mãe de seus filhos...

 

Que os filhos tornem se guerreiros.

 

É sinal que são filhos de guerreiros.

 

Aos meus olhos sou filha de guerreiros em vários aspectos na vida, e espero contudo que um dia seja a minha filha e os que ainda hão de ser meus filhos, a dizer que sou a sua guerreira. Que sou, com o orgulho dito pelo um filho,sua Mãe.

 

Mãe és o meu alicerce, a minha guerreira, mas também o meu ponto mais fraco.

 

O que te atinge, atinge me mil vezes.

 

O que de dói, faz doer-me até a minha alma.

 

Mas eu estou aqui, vou te proteger até conseguir, até onde Deus deixar-me.

 

Não te deixo por nada deste Mundo.

 

E só queria que não me deixasses por nada deste e de outro Mundo.

 

Fazes-me falta todos os dias.

 

És um dos maiores pilares que mantém a minha vida equilibrada.

 

O amor não se explica, não se mede, e eu nem sei como dizer te o quanto te amo.

 

Agora sou Mãe. Dou muito mais valor a tudo. A tudo o que me deste e continuas a dar. A tua sabedoria. O teu amor e dedicação.

 

Poderia escrever, escrever...mas os filhos sabem o verdadeiro significado de MÃE.

 

Aqui ficou um pouco da minha Mãe, a minha guerreira para sempre.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub